terça-feira, 31 de agosto de 2010

Jairo Anibal Niño último adeus! Agend@!

                        Literatura perde o escritor colombiano Jairo Anibal Niño



foto: jpg - 2.bp.blogspot.com/.../Mtwa-EgFUNU/s320/jairo.jpg

Jairo Aníbal Niño (nasceu em Boyacá em 1941) morreu aos 69 anos (30 de Agosto de 2010) e viveu numa montanha perto de Bogotá, capital da Colômbia. Aluno e professor refractário, propôs uma revolução da escola que ofereça às crianças um Ensino Superior. Enquanto estudante pintou, fundou e dirigiu grupos de teatro e estreou-se na dramaturgia. Para além de teatro escreveu guiões de cinema, poesia e contos infantis e foi director da Biblioteca Nacional da Colômbia. Entre os galardões mais importantes que recebeu contam-se o Prémio Nacional de Literatura Infantil (ENKA) de 1977, o Prémio Iberoamericano Chamán (México) de 1990, o Cuchilo Canário de Narração (Espanha) e o Misael Valentino (Cuba), ambos em 1993.
Em uma entrevista ao Boca da Palavra (http://bocaaudiolivros.blogspot.com/2007/) comentou:

                               Olá Jairo. Como está?
Muito bem, muito bem. Porque estou ao lado das crianças, dos loucos e dos apaixonados. E, portanto, estou sempre muito bem

                    Queríamos que nos falasse de si e de "A Alegria de Gostar".
Esse é um livro mágico. Penso que todos os livros chegam ao coração do escritor como se fossem um pássaro, como se fossem uma canção que desde há muito tempo surge no coração dos seres humanos, e que o escritor é alguém que está atento a essas vozes, mas não sei, creio que ninguém sabe como chega realmente um livro às mãos e ao coração de quem o escreve. Quando me reúno com as crianças, faço-o com frequência, elas perguntam sempre sobre essa magia da oficina do escritor. Eu digo-lhes que em certas ocasiões eu estou sentado em minha casa, ouço bater à porta e pergunto quem é. E há uma vozinha do outro lado da porta que me diz: “um conto”. E eu levanto-me, abro a porta e aí está o conto. E o conto olha-me nos olhos e diz-me: “amigo-irmão”. E eu digo “amigo-conto, passe”. E o conto passa e conta-me o conto e eu conto o conto aos meus amigos. Há uma magia, algo que vai para lá de qualquer cálculo. A literatura não é um cálculo, como o amor. Ninguém sabe como, nem porquê se enamora.
Hoy Jairo Aníbal Niño se despide de nosotros dejándonos el hermoso legado de sus poemas e historias para niños y jóvenes, que han acompañado en su crecimiento a muchos lectores alrededor del mundo y seguirán haciéndolo.

Sus preguntas, sus poemas sobre los primeros amores y personajes como Zoro, Dalia y Zazir continuarán viviendo entre las nuevas generaciones.

¿Qué es la despedida?
La despedida es una mano
que es un pañuelo
que es el corazón
y la distancia.
La despedida es una mano
que es un pañuelo
que es una mano
en el corazón
de la distancia.
Preguntario, 1990            Fundalectura – IBBY Colombia

Trabalhos publicados no Caderno do Sarau de 17 de Agosto _Homenagem para Drº Losso Netto e as Musas dos Compositores (parte IV)

foto: jpg - sitedepoesias.com.br/imagens/poemas/24553.jpg
                                           Mentiras (Ondina Bueno Toricelli)

Eu fui longe demais...
quando eu quis ouvir seus lamentos
cheio de ódio exalando ainda paixão
repleto de tristezas seus pensamentos.


Eu fui longe demais...
Quando apiedada rocei sua boca
e senti nos lábios um tremor inquietante
vulcão adormecido, amei-o como louca.


Você chalrando palavras balbuciadas
e eu faminta como onda borbulhante
em redemoinhos de sensações cegas
no buliçoso e tépido mar, me fiz errante.


Eu fui longe demais...
abandonando-me em pressurosa languidez
enredando-me em suas teias argênteas
que vinham das promessas que você me fez.


E eu esperei-o naquela madrugada flava
que voltasse a aquecer meu corpo magoado
que viesse buscar o amor que eu lhe dava
que libertasse meu coração escravizado.


E agora, desencontrada de mim
pouso um olhar de mim compadecida
que fiz desta paixão inquieta e faminta?
só fiz cinzas do frágil ramo da minha vida



foto: jpg - imagens.n3po.com/cache/Imagens/
                                           VARRIÇÃO (Bruno Marcus Rangel Pessanha )
Dormindo, varri para o canto da sala
pedaços de versos sujos,
palavras ocas de sentido e fala,
cascas secas de caramujo.


Depois, no mar do sonho, abri alas
entre barcos naufragados, cujos
guardiões do ouro, baús e malas,
eram esqueletos de velhos marujos.
foto:jpg - www.blog-br.com/uploads/s/Saymon/78688.jp
                                           Ele (Edson Antonio Di Piero)
Ele me rouba as idéias.
Ele me traz e leva amores.
Ele me traz luz e depois a escuridão.
Traz-me transtorno.
Traz-me a loucura.
Traz-me a solidão.
Traz-me a incerteza.
Traz-me a dor.
Traz-me a paz.
Tudo isso para saber quem sou.
Tudo isso me traz angústia.
Tudo isso me traz amor.
Ele está sempre aqui no meu coração.
Eu e Deus a sós.
foto: jpg - naogostar.zip.net/images/fuga.jpg

                                                         FUGA! (Dirce Ramos de Lima)
Partir...
Ver novas paisagens,
sorrir para estranhos
julgando encontrar novos amigos....
E no auge da mentira,
perceber que em toda parte
estás comigo...
Partir,
para que outras vozes
confundam meus ouvidos
e me engane nova ilusão.
Entre ruídos,buscar paz;
no tumulto, encontrar solidão.
Compreender que, afinal só consegui
isolar-me no meu coração...
Partir
para voltar depressa
arrastando o andrajo humilde
de uma esperança em ruínas;
alimentar essa moribunda
com venenos maiores
e, sem deixá-la morrer,
criar-lhe dores piores..
Partir,
para fugir de ti
e levar-te comigo..
Depois voltar,
ansiosa por encontrá-lo
e só encontrar nas mesmas ruas,
o mesmo inverno
envolvendo teu vulto adorado;
a mesma indiferença
repelindo meu amor torturado.
Partir e voltar:
tão triste por ter partido,
mais triste por ter voltado!

                                                         Uma noite em Buenos Aires
Sarau Literário Piracicabano de 14 de Setembro de 2010 apresenta: “Uma noite de tango em Buenos Aires”_

HOMENAGEADOS: Carlos Gardel e casal de poetas de Bragança Paulista: Ondina e Juraci Torricelli
Local: No Teatro Municipal “Dr. Losso Netto na sala 2
Rua Gomes Carneiro, 136 -Piracicaba-SP
Dia: 14 de Setembro (Terça-feira): 19h30 às 21h30
Ingresso: Gratuito (limite 100 lugares
Classificação: Livre

Telefone do Teatro: 19. 3433.4952

foto: jpg - blogsemdestino.com/.../2010/02/buenos-aires.jpg
                                                                Quarteto Arvoredo
foto de Zé Rui Kleiner um dos integrantes do quarteto ao lado de:Maicon Araki; Saulo Ligo; Marcus Godoy

Quarteto Arvoredo - "São Paulos". No Centro Cultural - BAR CRUZEIRO, nos primeiros sábados de cada mês.

No repertório do show, uma mescla de vanguarda e tradição. O Quarteto traz seus sambas autorais e faz uma homenagem aos geniais compositores de primero nome "Paulo" - Paulo Cesar Faria, Paulo Cesar Pinheiro e Paulo Vanzolini, referências nacionais da música popular brasileira.
                                                       PROGRAMAÇÃO
04/09 – Homenagem à Paulinho da Viola
02/10 – Homenagem à Paulo Cesar Pinheiro
06/11 – Homenagem à Paulo Vanzolini


BAR CRUZEIRO - Rua. Morais Barros, 1321, Bairro Alto
HORÁRIO - a partir das 21h
ENTRADA - 7.00 reais

domingo, 29 de agosto de 2010

Seca, retirantes, crônicas, poemas...Agend@

                                          Agosto árido

Trabalhos publicados no Caderno do Sarau de 17 de Agosto _Homenagem para Drº Losso Netto e as Musas dos Compositores (parte III)

                                    foto:sites.google.com/.../secanordeste.jpg
                                               Despedidas (Daniele Lima Bononi- Pagu)

Lembro-me da tarde abraseirada de quando deixei meu sertão.
Trazia no bolso esperanças que enchiam até o coração; como dizem meus amigos conterrâneos “parti tão ligeiro que carreguei o pó da seca no pé e o chapéu de coco na mão”. Na outra era um borná velho e usado de andar no lombo cansado dos jumentos, amarfanhado de trapo surrado.
Ziguezagueei terras que não havia sequer pensado existir, no caminho pensei em voltar, mas meu peito foi maior que eu e achou melhor a viagem prosseguir.
Meus olhos encheram-se de entusiasmo quando passei por verdejantes campos e entendi a frase “plantando-se tudo dá” . Ah se dá... e deram muitos frutos o meridiano que tracei no mapa, de quando saí e até onde hoje produzi.
Por isso que muitos dizem de como são “porretas” os severinos que servem, suam, são serventes e até gerentes.
Vivi, aprendi e cresci num chão que de tão branco é escandaloso, e lá o trabalho era penoso. Vim, na minha reta, parar num chão de concreto armado que de tão cinza é temeroso, e novamente aprendi, na mudança das cores, a ludibriar a fome, o povo e as dores.
Aprendi com o peito aberto que cada chão têm suas dificuldades de cultivar.
Agora sigo viagem de volta na velha risca que tracei... “vou-me embora” descansar, já que hoje não preciso mais plantar.

                   Poesia do Dia_Pietro Bononi lendo o seu poema no Sarau de 17 de Agosto
O beija flor está voando com as flores desabrochando.
Num lindo céu de brigadeiro o sol está sorrindo.
As flores estão contentes e as arvores crescendo.
O anoitecer é mais bonito com a Lua cheia nascendo.
                        Linotipo (foto: jpg - img481.imageshack.us/img481/8871/linotipiasj1.jpg)

O linotipista (Um pouco mais de história sobre o Drº Losso Netto) (Ana Marly de Oliveira Jacobino)
Toda negra a sua imponência aguçava os meus cinco sentidos. Não me lembro muito bem, pois a memória insiste em pregar peças, mas, três delas grudadas ao chão estavam instaladas num salão no prédio da Rua Moraes Barros, no centro da cidade, no Jornal de Piracicaba.

Antes de entrar ao salão colava meu corpo esquálido na parede e ouvia o barulho das matrizes que compõem a linha-bloco descerem do magazine, onde ficam armazenadas e, através do distribuidor, retornar ao magazine, depois de usadas, para aguardar nova utilização.

Devagar ia chegando ao lado do meu tio Valdir da Costa, todos os meus sentidos aguçados pelo ambiente festivo do jornal. O tio me abraçava e eu continuava com o olhar vidrado na máquina do linotipo. Ao seu lado percebia as letras como em um passe de mágica aparecerem e desaparecerem das suas mãos ligeiras.

Uma vez ou outra um senhor me pegava pelas mãos e me mostrava aquele mundo numa explosão de imagens e palavras. Os meus olhos de criança queriam escapar das órbitas por tantas novidades!

Um dia fiz uma descoberta interessante; o senhor de olhar tranqüilo era um dos donos do jornal. “Dr. Losso Netto”! Assim, deste modo, o meu tio, com carinhoso respeito; o tratava.

Percebia nestas minhas visitas, ao longo do ano, os funcionários temerosos, cochichando pelos cantos, olhando de soslaio, foi uma época maldita, a década de 1970, para toda a população, por causa da Ditadura Militar, principalmente, depois da AI5, a do tal Presidente, o General Garrastazu Médici. Este período foi marcado pelo recrudescimento da repressão política, da censura aos meios de comunicação e pelas denúncias de tortura aos presos políticos.

Enquanto, o governo gastava milhões de cruzeiros em propagandas destinados a melhorar sua imagem junto ao povo, através das mensagens bombásticas como: "Brasil, ame-o ou deixe-o"; qualquer cidadão podia ser preso se fosse desejo do governo. Nas escolas, nas fábricas, na imprensa, nos teatros, a sociedade brasileira sentia a mão de ferro da ditadura.

A malfadada ditadura não admitia críticas, nem ao menos oposição pacífica ao seu regime de terror. Muitos intelectuais precisaram deixar o país.

Um dia, lá pelos anos de 1979, em uma das minhas visitas, percebi o meu tio triste. Então, descobri: certas mudanças radicais aconteciam no Jornal de Piracicaba! As impressoras OFF-SET’S eram as novas donas do pedaço. Titio se aposentou! A tristeza invadiu a minha alma e a dele! Como acontecia há mais de três décadas, com a minha família, o jornal seria lido e relido em casa, mas, eu não teria mais a alegria de sentir a tinta fresca invadindo as minhas narinas e injetando vida ao meu sangue adolescente!

Contudo, a aposentadoria do tio Valdir durou pouco,  logo, ele foi chamado pelo José Rosário para auxiliar no equipamento novo, assim, titio foi ficando por mais uma década.

Sempre percebi mesmo tão criança; o quanto o ambiente de trabalho do jornal unia e reunia os funcionários e os seus donos; formando uma família em todos os momentos. O meu tio, sem dúvida, colaborou para que essa história fosse impressa, e, eu, me apaixonei por esse mundo às vezes tão paradoxal, em que se encontram os jornais; entre a verdade e a mentira, entre o bem e o mal...
                                            foto: jpg - 3.bp.blogspot.com/.../s400/a_chuva.jpg
                                         Poema para Agosto: (Angela Reyes)

Pobre alma prisionera,
dentro de la jaula de mil amores,
rompe cadenas, abre tus alas,
y remonta tu vuelo.
Pobre alma atrapada entre los escombros
de viejos recuerdos,
renueva tus plumas,busca la puerta
y escapa que la libertad te espera.
Vuela que eres libre como
el sol cuando amanece,
como la lluvia que cae del cielo
y como el viento que viaja lejos.
             foto:jpg - 4.bp.blogspot.com/_a_7zLmjY35c/SwWlvpdqibI/AA...
                                         Imagem de um campanário (Juraci Toricelli)

A capela no alto, deslumbrante
Um cântico litúrgico a ecoar
Repica o sino,embriaga o ar
um rumor misterioso, tosco e inebriante.
É o badalar que desdobra no campanário
Ressoando com angustia pelo imenso sertão
Trazendo suspiros, chorosa meditação
uma saudade , um amor longínquo, imaginário
No meio da mata sonolenta, fechada
Um canto tristonho parece associar:
O uirapuru em melancolia a cantar
Menestrel de paixões qual harpas em noites enluaradas.
Reminiscências, desejo não realizado
Tudo o campanário apresenta
O crepúsculo mais se acalenta
São sonhos, são amores, são lembranças do passado.
                                                                 Convites:

             foto: jpg - nereida.dealmeida.net/.../2010/03/tango-foto.jpg
Sarau Literário Piracicabano de 14 de Setembro de 2010 apresenta: “Uma noite de tango em Buenos Aires”_

HOMENAGEADOS: Carlos Gardel e casal de poetas de Bragança Paulista: Ondina e Juraci Torricelli
Local: No Teatro Municipal “Dr. Losso Netto na sala 2

Rua Gomes Carneiro, 136 -Piracicaba-SP
Dia: 14 de Setembro (Terça-feira): 19h30 às 21h30
Ingresso: Gratuito (limite 100 lugares)
Classificação: Livre
Telefone do Teatro: 19. 3433.4952

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Poemas e humor com hora marcada na Agend@!

Trabalhos publicados no Caderno do Sarau de 17 de Agosto  Homenagem para Drº Losso Netto e as Musas dos Compositores(parte II)
Moça com brinco de pérola é a musa do pintor Johannes Vermeer
foto: http://img144.imageshack.us/i/thegirlwiththepearlearrqo4.jpg/

                              Musa faz história (Ana Marly de Oliveira Jacobino)
As musas não são fruto de uma época como muitos podem pensar é que compositores mais recentes, também foram envolvidos por esse imaginário feminino poético, e cantam as suas musas. Tom e Vinícius fizeram nascer na mesa de um bar de Copacabana a “Garota de Ipanema”, de tão embevecidos que ficaram ao ver uma jovem passar por eles a caminho da praia. Como a música (a arte das musas) nada como unir, o útil ao agradável, e fazer da mulher a sua musa inspiradora! Desde tempos imemoráveis; o amor pela mulher tornou-se tema comum e fecundo da poesia ocidental.
O que podemos perceber é que na maioria das composições, as mulheres que povoam a poesia dos compositores apresentam-se de maneira paradoxal: ou são figuras femininas passíveis e etéreas ou são figuras transgressoras e pecadoras.
Mas, certamente não podemos ver às mulheres sempre entronizadas em papéis de musas, pois, elas também figuram como compositoras, escritoras, poetas, além, dos vários outros papéis importantes para a sociedade moderna. Posso afirmar; que neste período histórico mais recente, ao se ver travestida no papel de musa inspiradora foi um bom motivo para ela repensar o seu papel na história, e questionar a sua própria história no âmbito local e universal.

ASSISTA AO TAILER DO FILME: Moça Com Brinco de Pérola- CLIQUE A SEGUIR:

http://www.youtube.com/watch?v=VNlcsamBP8M
                                                 
Amor e dor (João B.S.N. Athayde
No metro do soneto a alma se condensa
E, em gotas vai, após, suas dores destilando
Molhando a face da tristeza e da descrença
Na cadência sutil dos versos se embalando
************
Por vezes a alegria dá o tom da crença
E a esperança vai aos poucos se aninhando
entre as rugas da alma...e sem pedir licença
Aos poucos vai, também, as sombras afastando

Entre momentos de pesar ou de ventura
Os versos vão surgindo, e vai nascendo o poema
Tisnado, às vezes, das nuanças da amargura


Mas, o poeta, a sós, buscando a rima extrema
Luta consigo mesmo num atroz dilema
até que o último verso escorra com doçura.
                                                        foto:jpg - jornale.com.br/.../02/fotos-de-gatos-031.jpg
                                                         Gata Minim (Esther Vacchi Passos)

 Minim gata preta muito gata
 olhos verdes, pelo brilhante
 das crianças foi companheira
 andava pela casa muito arteira.
corria atrás da bola da criançada
subia no telhado caçar rolinhas
 no quartinho espantava ratinhos
 cuidava da casa e comia bolinhos.
 até que um dia minim encontrou
 um belo gato branco e enamorou
 não demorou estava gorducha
 ficou mais fofa do que nunca.
 atrás da longa cortina do quarto
 foi que nasceu os lindos filhotes
 as crianças fizeram a festa felizes
 colocando na caixa do quartinho
 gatinhos branco, preto e branco
Minim amamentou todos fofinhos
 cuidou com carinho ate crescer
 lembrança deixou a gata Minim.
                                                   foto: jpg - 3.bp.blogspot.com/.../s320/silencio.jpg
                                                           Nudez (Carla Ceres)
Toda mudança emudece
E quem se desnuda muda
Muito mais do que parece.
Minhas crenças silenciam
Quando se despem de mim.
Algumas poucas se aliam
À longa escada que galgo
Menos nu do que me vejo,
Mudando de algo em algo.
                                                 Cancioneiro (Marcio J. Rutes _Curitiba)
É a vida que corre em disparada,
Tangendo sorrateira minha canção.
E do gado roto,
Aquele que esmaga o capim,
Ela, minha vida, nada tem.
E por desdém, puída,
Lá vem, fria e incontida,
A sorte cretina e doída,
De um destino que reneguei.
Aquele gado que vi passar,
Do qual invejei sem nenhum porém,
Passa reto pro matadouro,
E lá, sem nenhum touro,
Entrega-se lento ao seu réquiem.
Ah!Cancioneiro farrapo,
Que corta maldito em meus ouvidos,
Se atina, muda de cela,
Que em minha garupa,
Te quero mais não.
Prefiro o destino do boi de piranha,
Que alimentou a fome do pequeno,
Do que parar na boca do homem,
Que de fome, morre é pela gula.
E então, cancioneiro,
Te apago da memória,
Te remonto em outra coleção,
Te mudo títulos, mudo até o tom,
Mas hoje canto diferente,
Levanto o peito, com sobriedade,
Vou cantar alto, para todos:
Morro por minha liberdade
                                                             Convites e + Convites
28 de Agosto de 2010 _20h00 - ABERTURA OFICIAL DO 37/ SALÃO INTERNACIONAL DE HUMOR.
De 28/agosto a 17/outubro. Local:

Parque Engenho Central/Armazém 14. Visitas: terça a sexta, das 14 às 21h.
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 21h.


SERVIÇO:

Viagem Teatral - Espetáculo: Reciclonices
Local: SESI Piracicaba - Av. Luiz Ralph Benatti, 600 - Vila Industrial.
Datas e horários: dias 28/08 e 29/08 (sábado e domingo), às 16h.
Capacidade: 330 lugares
Entrada: Franca – os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início da apresentação.(NÃO SERÁ PERMITIDA A ENTRADA APÓS O
INICIO DO ESPETÁCULO)
Gênero: comédia
Duração: 60 minutos
Recomendação etária: Livre para todos os públicos.
Informações: (19) 3403-5900/ 5928

Pôr do Sol em Piracicaba (foto: Ana Marly de Oliveira Jacobino)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Sala de Star em Tardes de Prosa no Caderno do Sar@u!Agend@!

Raquel entrega o livro "Tardes de Prosa" para a apresentadora do Sala de Star; Vera Lúcia.
Ana Marly, Madalena, Leda, Aracy, Carmem, Raquel e Vera Lúcia após a entrevista que foi ao ar no dia 24 de Agosto na TV Beira Rio (Piracicaba)

O livro "Tardes de Prosa" um presente de crônicas e contos de 14 escritores de Piracicaba e região.
Ilhas pontuando de beleza o mar de Parati

A literatura pontuando de beleza a Agend@ ( Trabalhos enviados para a publicação do Caderno do Sarau que aconteceu no dia  17 de Agosto)_ Parte I
"A persistência da memória - Salvador Dali""

                                                  SONETO DA SAUDADE (Beto Furlan)

Há de ficar comigo uma saudade tua
Hei de ver-te em cada sonho que se adensa
Para que a cicatriz dolorida dos desejos
Se perpetue nos meus devaneios

Navegarei pelos interiores recônditos
De tantas horas vagas
E, ignoto, descerei deste celestial mirante
Clamando, ardentemente, por ti

E caído na realidade
Dessa minha solidão
Abrirei meu coração

Para nele plantar uma nova emoção
E hei de cultivá-la
Com todo o meu sublime amor 
                                               foto: jpg - www.educacaoadventista.org.br/.../131/livros.jpg

                                                            Educação (Dione E.M. Rossatte)

Educação, palavra bonita
Que só existe no papel
Eu só vejo neste mundo
crianças em mundo cruel


Aprendi que educação
Todos nós precisamos ter
Então ensinemos nossos filhos
Para mais tarde não sofrerem


Eu comparo a educação
Com uma boa semente
Se a soubermos cultivar
Bons frutos iremos colher!!!
foto: jpg - 4.bp.blogspot.com/_liOO0KMb4WE/SbY3whvxOUI/AA...

Quatro sonetos para Vinicius (Zé Rui Kleiner)

                                                                   II – PRESENTE
Tenho e não tenho o curso de uma história
Brigo até com o demônio; pela ida
Boêmia a qual eu levo toda vida
Me esqueço da ferida compulsória.

Sigo tal curso, ébrio da oratória
Envolvo-me em sequiosa despedida
- Presente de um deus d’alma corrompida
Trancado nos confins d’uma memória.


Vinte e poucas promessas todo ano
Outras trinta sem nem eira nem beira
Quarenta, novisfora, por engano

Tudo se faz e se fez por besteira
De um ser que ainda se faz pleno inumano
Da alma só: soturna e vil geleira.
foto: peotacilio.blog.terra.com.br/files/2010/05/sa...

Ser Solteira (Ana Lúcia Stipp Paterniani)

Depois de tantas confusões de santo Antonio
Tentando me arrumar um matrimônio,
Estou vivendo as alegrias e delícias
De ser artista solo...
Ser solteira é viver sem estresse
E sem nenhuma preocupação...
De saber se está sendo traída
E onde anda o seu bonitão...?!?
Já tive meu tempo de amores
E posso dizer que também fui feliz...
Mas não troco por nada agora essa fase
De solteirinha aprendiz...
Poder dormir e comer à vontade,
Não ter que aguentar os leros leros
Naturais de todo relacionamento...
E nem se preocupar em fazer a toda hora...
Depilação!!!!
Se quero companhia, tenho amigos
Que me garantem diversão...
Então só posso agradecer a santo Antônio
As suas trapalhadas
E a deus mais esta bênção!!!
Foto Histórica: Festa em família _Fonte: Arquivo Portal da Mooca
Doces manhãs de domingo (Ivan Ferretti Machado (São Paulo- Capital))

Ah, como são gostosas as manhãs de domingo
Seria maravilhoso se todos os dias
Fossem manhãs ensolaradas de domingo
O sol nas manhãs de domingo é diferente
O bom dia nas manhãs de domingo é diferente
As pessoas nas manhãs de domingo são diferentes
É extasiante, nas manhãs ensolaradas de domingo,
Pisar sobre as calçadas enfeitadas de folhas caídas
E a cada pisada sentir no ar o aroma gostoso de poesia
Misturando-se ao cheiro de amoras e pitangas maduras
Vindo dos quintais banhados ainda pelo orvalho da manhã
Depois encontrar os amigos no mesmo lugar de sempre
Conversarmos as mesmas conversas de sempre
Contarmos as mesmas piadas de sempre
E reinventarmos as mesmas mentiras de sempre
Afinal de contas, as manhãs preguiçosas de do mingo
Foram feitas única e exclusivamente para isso:
Repetir tudo o que já falamos na semana passada
E arregalar os olhos admirados a cada narrativa
Como se realmente tudo aquilo fosse novidade
Ah, eu amo sentir o gosto das manhãs de domingo
E quando um dia eu tiver que partir desse mundo
Que seja em um fim de semana de pele bronzeada
Por que sinceramente, eu acho um verdadeiro luxo
Morrer em uma manhã ensolarada de domingo.
Lívia Foltan Spada _ Palhaça Xarlet e Benedita (Bêne) Giangrossi _ Palhaça Xoanet  em apresentação especial como: jornaleiros em esquete-homenagem ao Dr. Losso Netto do Jornal de Piracicaba

                                                               Mais Sarau

Escute e cante com:  Ana Lucia Stipp Paterniani (flauta transversal e voz), Carlos Roberto Furlan (violão e voz) e Suzi Furlan (voz); interpretando:

                             http://www.youtube.com/watch?v=g8HwoKluQsQ

                                      Convite:
SESI PIRACICABA APRESENTA MARIA PREÁ Sexta-feira 27/08, às 20h. A entrada é franca.
O repertório da cantora é exclusivamente nacional e conta com clássicos da MPB, como Carcará e Caxanga.O show faz parte da Série Brasileira, e também oferece ao público pluralidade e riqueza da música brasileira, reggae, coco, maracatu... abrangendo das raízes às tendências contemporâneas do vasto universo musical do país.
                             SERVIÇO:

Local: SESI Piracicaba - Avenida Luiz Ralph Benatti, 600 - Vila Industrial.
Capacidade: 330 lugares
Informações: (19) 3403-5928
Recomendação etária: livre
Duração: 90 minutos

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Carros Antigos, Humor Gráfico, Premiação, Sarau...Agosto repleto de Cultura na Agenda!

                                     Agosto primaveril

                             Ação Cultural premia destaques culturais


Os destaques receberam o Troféu de Mérito Cultural Fabiano Rodrigues Lozano e Medalhas de Mérito Cultural

Troféu de Mérito Cultural Fabiano Lozano - Jornal de Piracicaba
Medalha Umberto Cosentino - artes plásticas - Gil Schreiber
Medalha Professor Olênio de Arruda Veiga - música - Renato Bandel
Medalha Serafino Corso - arquitetura - João Chaddad
Medalha Professora Branca Motta de Toledo Sachs - literatura - Ana Marly de Oliveira Jacobino
Medalha José Maria Carvalho Ferreira - artes cênicas - Antônio Chapéu
Medalha Cícero Corrêa dos Santos - artes visuais e fotografia - Alessandro Maschio
Medalha Íris Ast - dança - André Malosá
Medalha João Chiarini - folclore e tradições populares - Antônio Filogenio de Paula Júnior

Serviço:

Entrega no dia 25 de Agosto (quarta feira) no Teatro Municipal Drº Losso Netto
Horário: 20 horas
A cidade de Piracicaba sediará, no dia 28 de agosto, data da abertura oficial do 37º Salão Internacional de Humor de Piracicaba, o "Encontro Internacional de Ilustradores"


Também vai haver um debate sobre a profissão de ilustrador (cartunista, chargista e quadrinhista), com a presença de profissionais nacionais e internacionais.
O evento, que contará com a presença do cartunista combiano Omar Turcios Figueiroa, que vive em Madri/Espanha e do presidente do PortoCartoon Luis Humberto Marcos de Porto/Portugal é uma realização do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), com apoio da Prefeitura Municipal de Piracicaba, Secretaria Municipal da Ação Cultural (SEMAC) e Centro Nacional de Documentação, Pesquisa e Divulgação do Humor Gráfico de Piracicaba (CEDHU). O encontro ocorrerá no Anfiteatro “Henfil”, Armazém 14 do Engenho Central.
                                                                       Serviço:
Encontro Internacional de Ilustradores
Local: Armazém 14 - (Anfiteatro Henfil)
Data: 28/08
Horário: 14h
Informações: CEDHU - Centro Nacional de Documentação, Pesquisa e Divulgação do Humor Gráfico de Piracicaba
Telefones: (19)3403-2615 / 3403-2620 / 3403-2621 / 3403-2623
A participação é gratuita.

Engenho reúne carros antigos  para os olhares atentos dos apaixonados por carros antigos
Pátio com carros antigos no engenho Central de Piracicaba



12º Encontro de Veículos Antigos, realizado pelo Clube de Veículos Antigos de Piracicaba

Ensaio do Sarau Litrário Piracicabano: Dr. Losso Netto e as Musas dos Compositores (15 deAgosto de 2010)
Um pequeno trecho do trabalho de Carlos ABC no ensaio do Sarau Litrário Piracicabano:

                                                O guardador de rebanhos de Fernando Pessoa
Num meio dia de fim de primavera
Tive um sonho como uma fotografia
Vi Jesus Cristo descer à terra,
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.

Tinha fugido do céu,
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu era tudo falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras,
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem...

Assista esta pequena jóia:
http://www.youtube.com/watch?v=p4dxHQScZT8

Amigos e Colaboradores do Sarau Literário Piracicabano durante o ensaio

Clique e cante junto participando do Sarau Literário Piracicabano


Ai, Que Saudades da Amélia- Composição: Ataulfo Alves e Mário Lago I
Nunca vi fazer tanta exigência
Nem fazer o que você me faz
Você não sabe o que é consciência
Nem vê que eu sou um pobre rapaz
Você só pensa em luxo e riqueza
Tudo o que você vê, você quer II
Ai, meu Deus, que saudade da Amélia
Aquilo sim é que era mulher
Às vezes passava fome ao meu lado
E achava bonito não ter o que comer
Quando me via contrariado
Dizia: "Meu filho, o que se há de fazer!"
Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade


Marina- Composição: Dorival Caymmi
Marina,morena
Marina,você se pintou
Marina,você faça tudo mas faça um favor:
não pinte este rosto que eu gosto e que é só meu
Marina você já é bonita com que Deus lhe deu
Me aborreci me sanguei
Já não posso falar
E quando me zango Marina não sei perdoar
Eu já desculpei tanta coisa
Você não arranjava outro igual
Desculpe, Marina morena
Mas eu estou de mal
De mal com você
De mal com você
Suzi Furlan (voz); Carlos Roberto Furlan (violão e voz) ;Ana Lucia Stipp Paterniani (flauta transversal e voz),

                                                     Ouça um pouco +! Você vai gostar:

http://www.youtube.com/watch?v=8SYlwJsjbkQ

                                                   Agosto no Engenho Central