terça-feira, 18 de julho de 2017

"Melodia" e Trio Marayá!

O "Melodia", como o chamávamos carinhosamente, sempre foi uma pessoa da melhor qualidade, sempre disposto a ajudar a todos. Aprendi muita coisa com ele e o considero um verdadeiro irmão. Hoje a festa no outro plano deve estar ótima! Marconi, luz e paz pra você. Flávio Augusto Vieira Gonçalves
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo
E hoje é seu aniversário (18/7), se estivesse aqui completaria 80 anos . Aí onde estiver devem estar comemorando, porque mesmo a distância comemoramos aqui o seu dia . O dia que nasceu o cara mais incrível e maravilhoso que já existiu , que foi um super pai , um super amigo um super avô , marido ..... Onde você estiver, Parabéns. Te amo meu velho ! _ Seu filho Adriano Marconi
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas
Uma homenagem do Sarau Literario Piracicabanoao Trio Marayá (ao saudoso Maestro Marconi que hoje estaria aniversariando). Ouça e viva a melodia afinada do Trio Marayá: QUE SERÁ DE TI - TRIO MARAYÁ
https://www.youtube.com/watch?v=5Ngt1hkYM0g

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
Trio Marayá - Full Album _ https://www.youtube.com/watch?v=uUnnrgmyFe0


sábado, 15 de julho de 2017

Lindolf Bell o poeta ousado...

Conheça esse poeta brasileiro que revolucionou o método de divulgar a poesia...Ana Marly de Oliveira Jacobino
A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e planta

Lindolf Bell (1938-1998)
Nascido em Timbó em 1938, Lindolf Bell transformou-se em um dos maiores poetas do Estado. No fim da década de 1950, mudou-se para o Rio de Janeiro onde conheceu pessoalmente ícones da literatura como Cecília Meireles e Carlos Drummond de Andrade. Foi responsável pelo primeiro programa televisivo dedicado à poesia no país, veiculado na TV Coligadas, de Blumenau, e participou da 1ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em 1970. Um ano depois, publicou Annamárias, seu grande sucesso. O poeta mudou a forma de divulgar as poesias e suas obras acabaram publicadas e traduzidas para diversas línguas...
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo
Lindolf Bell, foi um nome ligado à invenção lógica, à ousadia, à uma capacidade mágica. Seguindo seus impulsos rompeu as amarras que prendiam a poesia, tornando e exigindo o contato direto com o leitor. Bell também difundiu suas idéias através de painéis-poemas, corpoemas...
Se o ofício do poeta é redescobrir a palavra, como dizia o autor de As Vivências Elementares, nosso ofício é o de redescobrir o poeta, através de suas palavras, tais como aquelas presentes na Metafísica Cotidiana: procuro a palavra-palavra a palavra fóssil, a palavra antes da palavra”. Esse impulso rumo às origens nos torna mais sensíveis e profundos.
http://www.lindolfbell.com.br/Biografia.php
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Do Amor
Meu nome é: 

eu-te-lavro-na-manhã-na-memória 
eu-estou-estarei-contigo-para-sempre 


Meu desejo é:
atenderei a tua sede
e esquecerei meu nome

Eternamente 

Lindolf Bell, in 'As Vivências Elementares'
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, barba

Amor Mais Perfeito
Amor mais perfeito
não é feito do fácil.
Floresce por dentro
embora se pretenda que cesse. 
E quando nas águas da pressa
foge o amor mais depressa,
é tempo de saber
quanto dura
o tempo de não saber.

Lindolf Bell, in 'Incorporação'

sábado, 1 de julho de 2017

SR. BRASIL

SR. BRASIL (Rolando Boldrin) um brasileiro de verdade!
A imagem pode conter: 1 pessoa, barba

Rolando Boldrin tinha 10 anos quando viu pela primeira vez Alvarenga e Ranchinho. O menino de cabelo loiro branco, danado como todo moleque criado solto no interior, ficou paralisado. Com verve afiada, a dupla entremeava a cantoria com histórias ouvidas aqui e acolá, garimpadas em conversas despretensiosas, cujo arremate enseja graça irrefreável. A cidade era São Joaquim da Barra, o palco, o picadeiro de um circo. Roda Viva | Rolando Boldrin | 26/06/2017

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up
Aos 80 anos, Rolando Boldrin celebra em disco o Brasil caipira capaz de rir de si mesmo com poesia
O cantor, ator e apresentador do programa Sr. Brasil, Rolando Boldrin, declama o poema ‘Pitoco’, o qual retrata, de uma forma muito comovente, uma das maiores amizades que pode existir: a entre um menino e seu cão.
https://www.youtube.com/watch?v=lBNKucbSrmM
A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza

A matéria-prima de Rolando Boldrin é o caipira criativo e gozador, a rir da própria desgraça e da alheia. Um caipira capaz de produzir modas impermeáveis ao tempo, como Romance de uma Caveira (Alvarenga e Ranchinho), que com galhardia narra o infortúnio do esqueleto trocado por um “defunto fresco”. Talento e qualidade que em nada lembram a música sertaneja. “A caipira é a tradicional cantada em dueto, quanto mais simples o arranjo, mais puro é. Ela trata um assunto passional de forma completamente diferente da sertaneja de alto consumo, cujas melodias românticas de gosto popularesco têm arranjos influenciados por gêneros estrangeiros.”
https://www.cartacapital.com.br/…/rolando-boldrin-dos-quint…