sexta-feira, 29 de abril de 2011

A dor bate no peito na hora do adeus!

Melzinha foi homenageada pelo Sarau Literário Piracicabano em Setembro de 2008. Saudades do seu sorriso!


              Rugas com orgulho  (Maria Emília Leitão Medeiros Redi)
No passar do tempo,
O tempo marcado
Nos rostos que eram meus.
O orgulho de ter vivido
Encantos, desafios, aprendizados mil...
Tão pouco foi o tempo
Que levou sem tempo
A vida que vivi

Maria Emilia Leitão Medeiros Redi (poeta, escritora) no centro fazendo uma corrente de amor e amizade com MarleneTherezinha Issa Galvani (artista plástica) também homenageada ao seu lado direito.
Em um sarau as amigas abraçadas Maria Emília (a segunda da foto)

                                                            Guilherme Arantes o poeta do som!
Guilherme Arantes mostrou toda a sua veia artística no palco do Cristovão Colombo. Cantou  músicas como “Meu mundo e nada mais”, “Planeta Água” e “Lindo Balão Azul” e se surpreendeu com a receptividade dos piracicabanos.
        "Nos anos 70, Guilherme Arantes era mais um jovem fascinado pelas possibilidades do rock progressivo. Foi o vocalista e tecladista da Moto Perpétuo, banda que lançou um debut homônimo ainda na primeira metade daquela década e tinha como referência o trabalho da Yes e Genesis. A sonoridade lisérgica e que abusava de sintetizadores foi base para o início da bem sucedida carreira solo do músico nos anos seguintes, que em 2011 completa 35 anos.
        Não apenas “Meu mundo e nada mais”, mas também “Planeta Água”, que é conhecida pelo esdrúxulo termo “hit ecológico”. A música é, até hoje, utilizada para fins pedagógicos e já foi abordada até mesmo em educação religiosa. Gravada em 1981, foi selecionada para o Festival MPB Shell e, segundo depoimentos da época, o segundo lugar que conquistou surtiu efeito e impulsionou a carreira de Arantes."
                                          (Erick Tedesco da Tribuna)
"Deixar fluir toda a enegia contida na arte, como um todo é ir além da busca do paraíso perdido é encontrar a verdadeira fonte da juventude, aquela que rejuvenesce o nosso "Eu" como um todo!

                                                       Ana Marly de Oliveira Jacobino

“Cheia de charme” é outra composição que não sai do repertório. De acordo com Arantes, a ideia para a música surgiu numa tarde na praia do Rio de Janeiro, assim como outras “arejadas” apareceram naquela metade dos anos 80, como “Oceano” e “Gaivotas”. Foi quando estava contratado pela gravadora CBS, atual Sony, e dividia os holofotes com bandas de pop, como RPM, Metrô, Rádio Taxi e ainda com alguns nomes ligados à MPB. Afinal, esta era uma fase em que Arantes transitava entre as melodias fáceis e a complexidade das harmonias."
                                                                (Erick Tedesco da Tribuna)

Ouça e cante "Cheia de Charme" com o grande "Guilherme Arantes":

               http://youtu.be/ad0gseS3Aac
Lindo Balão Azul”, “Deixa Chover”, “Lance Legal”, “Coisas do Brasil”, “Pedacinhos” e “Brincar de Viver” são composições que também serão tocadas e cantadas por Guilherme Arantes neste show em Piracicaba, de todas as fases do cantor/compositor, marcadas pela facilidade em transitar por estilos e apresentá-las numa linguagem acessível, do rock progressivo, passando pela MPB, pop, new age e de volta à MPB. A inspiração, resumiu ele, é o amor. (Erick Tedesco da Tribuna)


Cante, Ouça e Vibre com Guilherme Arantes cantando "Coisas do Brasil":
                         http://youtu.be/v5mV8sQROXY


                         Noite de contar Histórias com a Tia Carmelina e seus formandos:
Carmelina a nossa encantadora: Contadora de Histórias e seus alunos na noite da formatura em 11 de Abril no palco da Biblioteca Pública Municipal de Piracicaba.

O ato de contar uma história, além de atividade lúdica, amplia a imaginação e ajuda a criança a organizar sua fala, através da coerência e da realidade. O ver, sentir e ouvir são as primeiras disposições na memória das pessoas. Contar histórias é uma experiência de interação. Constitui um relacionamento cordial entre a pessoa que conta e os que ouvem. A interação que se estabelece aproxima os sujeitos envolvidos. Os contos enriquecem nosso espírito, iluminam nosso interior, e, ao mesmo tempo, nos tornam mais protagonistas na resolução dos problemas e mais flexíveis para aceitar diferenças.

Conte uma história e plante uma semente...
                     A palavra mágica

Vou procurá-la a vida inteira no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a
encontro, não desanimo, procuro sempre.
Procuro sempre, e a minha procura
ficará sendo a minha palavra.         (Carlos Drummond de Andrade)
                       Momento do recebimento dos diplomas!
O exercício de contar histórias possibilita debater importantes aspectos do dia-a-dia das crianças. Contar histórias é também uma forma de ensinar temas éticos e cidadania e de propiciar um mundo imaginário que encanta a criança. A criança necessita ouvir histórias para desenvolver sua imaginação, a observação, e a linguagem oral e escrita, assim como, o prazer pela arte, a habilidade de dar lógica aos acontecimentos e estimular o interesse pela leitura.

Lucila Calheiros Silvestre no momento que mostra a alegria de receber o evento no palco da Biblioteca Municipal.
                                                           Convite:


"Estamos com dois cursos:"Arteterapia e a Arte de Contar Histórias. E o outro de "Contação de Histórias e Escrita Criativa na Arteterapia".


São dez encontros de três horas.
Segundas das 14h às 17h.
Quartas das 19h às 22h.
Valor $350,00 pode ser dividido em três cheques.
Acontece no "Espaço Arte"_ Rua São João 149-Bairro Alto Piracicaba
fone: (19) 3035 1516 Ou ( 19)9145-6656
Carinho da Carmelina
Momento mágico da Contação de Histórias pelos formandos.
Através da arte de contar histórias, podemos tornar possível a construção da aprendizagem relacionada à competência cognitiva da criança, propiciando elaboração de conceitos, compreendendo sua atitude no mundo, e se identificando com papéis sociais que exercerá ao longo de sua existência.
          Revista ACB Amélia Hamze Profª FEB/CETEC FISO e ISEB – Barretos/SP

                                                               + Convites:
Cena da peça "Lugar onde o peixe pára" no palco do Teatro Municipal de Piracicaba
SESI PIRACICABA APRESENTA __OSWALDINHO & MARISA VIANA
                                  Dia 30/04, sábado ás 20hs
A dupla paulista interpretará composições de Elpídio dos Santos em comemoração ao centenário de nascimento do músico.
                                                  SERVIÇO:


SESI Música 2011 – Série Brasileira – Oswaldinho & Marisa Viana
Local: SESI Piracicaba - Avenida Luiz Ralph Benatti, 600 - Vila Industrial.
Data e horário: dia 30/04 (sábado), às 20h.
Capacidade: 330 lugares
Duração: 60 minutos
Classificação: livre       Entrada: Franca      Informações: (19) 3403-5928
                            
                               Sarau Literário Piracicabano de 17 de Maio de 2011
                                                       Homenageados:

Os músicos: Carlos Roberto (Beto) e Suzana (Suzi) Furlan
Ouça Beto e Suzi no palco do Teatro Municipal de Piracicaba no Sarau Bem Brasileiro e cante junto com eles:
                                           http://youtu.be/djqMSlSnWu8

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Vá além da sua dimensão através das asas da arte; aqui na Agend@!

"Sentir os movimentos que acontecem em um Sarau Lítero-Musical é como interagir através de um caleidoscópio, onde o tempo pára, e , os seus reflexos coloridos transpassam a alma envolvendo-a na pura arte atemporal!"
                                                     Ana Marly de Oliveira Jacobino 
                      Sarau Literário Piracicabano
 (Sarau Bem Brasileiro) de  12 de Abril de 2011_ Parte 1
Primeiro homenageado do Sarau Literário Piracicabano: Gilberto Freyre

Gilberto nasce no Recife, em 15 de março de 1900, Gilberto Freyre, filho do Dr. Alfredo Freyre — educador, Juiz de Direito e catedrático de Economia Política da Faculdade de Direito do Recife — e de D. Francisca de Mello Freyre.
Aos seis anos de idade tenta fugir de casa, escondendo-se em Olinda, cidade à qual devotou grande amor e da qual escreveria, em 1939, o 2° Guia Prático, Histórico e Sentimental.
Inicia seus estudos freqüentando o Jardim da Infância do Colégio Americano Gilreath, em 1908. Faz seu primeiro contato com a literatura através das Viagens de Gulliver. Mas, apesar de seu interesse, não consegue aprender a escrever, fazendo-se notar pelos desenhos. Toma aulas particulares com o pintor Telles Júnior, que reclama contra sua insistência em deformar os modelos. Começa a aprender a ler e escrever em inglês com Mr. Williams, que elogia seus desenhos.
Em 1909 falece sua avó materna, que vivia a mimá-lo por supor ser o neto retardado, pela dificuldade em aprender a escrever. Ocorrem suas primeiras experiências rurais de menino de engenho, nessa época, quando passa temporada no Engenho São Severino do Ramo, pertencente a parentes seus. Seu primeiro e mais conhecido livro é Casa-Grande & Senzala, publicado no ano de 1933 e escrito em Portugal. Em 1946, Gilberto Freyre é eleito pela UDN para a Assembléia Constituinte e, em 1964, apoia o golpe militar que derruba João Goulart. A seu respeito disse Monteiro Lobato:
“O Brasil do futuro não vai ser o que os velhos historiadores disserem e os de hoje repetem. Vai ser o que Gilberto Freyre disser. Freyre é um dos gênios de palheta mais rica e iluminante que estas terras antárticas ainda produziram. “
Gilberto Freyre foi também reconhecido por seu estilo literário
As mangueiras
o telhado velho
o pátio branco
as sombras da tarde cansada
até o fantasma da judia rica
tudo esta à espera do romance começado
um dia sobre os tijolos soltos
a cadeira de balanço será o principal ruído
as mangueiras
o telhado
o pátio
as sombras
o fantasma da moça
tudo ouvirá em silêncio o ruído pequeno."            Gilberto Freyre

## Com o livro "Casa-Grande & Senzala", publicado em 1933, Gilberto Freyre revolucionou a historiografia. Ao invés do registro cronológico de guerras e reinados, ele passou a estudar o cotidiano por meio da história oral, documentos pessoais, manuscritos de arquivos públicos e privados, anúncios de jornais e outras fontes até então ignoradas. Usou também seus conhecimentos de antropologia e sociologia para interpretar fatos de forma inovadora. Freyre fez carreira acadêmica, de artista plástico, jornalista e cartunista no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos. Manteve, porém, uma grande ligação com Pernambuco, em especial Olinda e Recife...
Segunda homenageada do Sarau Literário Piracicabano: Marly Therezinha Germano Perecin
                         Uma biografia, que fala ao coração
Certa menina estudiosa e inteligente solicitou-me a biografia. Encarei com espanto, primeiro porque os filhos não crescem não importa a sua origem _se d’alma, do coração ou do sangue; segundo, porque ela hoje empresta a Piracicaba o seu dinamismo como lingüista e literata, terceiro é que por graça da sua imensa alegria interior, ela estremece Piracicaba com o seu sarau: Ana Marly de Oliveira Jacobino!
Não é que a menina cresceu e engrandeceu a cultural piracicabana? Tornou-se mestra, mãe e artista. Esta mesma que me solicitou a biografia.
Já, alertei sobre a inutilidade de considerar uma vida, tão sem graça que cabe na orelha de um livro, mas como ela é insistente cedi. Talvez para me livrar rapidamente do que chamam uma saia justa. _Falar de mim ou da biografia na terceira pessoa?_ Preferi a segunda alternativa.
Marly Therezinha Germano Perecin nasceu em Taquaritinga, São Paulo aos 6 de novembro de 1936. Se houvesse sido consultado escolheria Piracicaba, pois nesta cidade passou a viver toda a sua vida; cresceu, estudou, casou, teve filhos e neto; sorriu e sofreu como todos os seres humanos porém, jamais se entregou a dor e, quando encerrou o magistério, dedicou-se a escrever.
Vai deixar filhos e livros neste mundo. É medularmente paulista, natureza que revela em suas pesquisas, monografias, livros, opúsculos, artigos e romances. Se o que consta em seu currículo tem significado meramente formal, o que vale é a sua perseverança no duro aprendizado da vida, sem se dar conta da idade. Talvez, este seja o seu único mérito.
Foram seus pais Nestor soares Germano e Djanira ribeiro Germano, seu marido Noedy Perecin. São seus filhos: Gil, Théo e Nelita (falecida); seus netos: Marcelo, Beatriz, Lucas, Mariana e Marina.
Como historiadora não se espanta com o rápido suceder das transformações, mas as vezes deseja que reinventassem o processo genealógico das sociedades no sentido do aprimoramento da beleza, da inteligência e da bondade, imunizando-se o mundo frente as perversidades e o sofrimento. Não é que seja movida por sonhos e utopias, mas certas contradições alimentam duvidas que só cabem ao futuro resolver.
Finalmente, a última revelação: perante a vida, que de presente lhe é oferecida, esta curiosa como criança em “Noite de Natal”; atenta como segurança em shopping e um pouco inútil como tigela sem tampa.
Para vocês; “Mestres” na grandeza da palavra; suas vidas entrelaçam com a História do Brasil                         Ana Marly de Oliveira Jacobino
         Hoje ouvimos muito falar em “Resgate Histórico”! Vou além ao afirmar; o que fazemos é “Justiça Histórica”! Você ouviu bem; “Justiça Histórica”.
        Gilberto Freyre foi duramente criticado por volta da segunda metade do século XX, como: o sociólogo, que escrevia ensaios e, portanto, não poderia ser considerado um cientista. Esqueciam seus críticos mais ortodoxos, do seguinte e inesperado detalhe: Freyre era sem dúvida alguma um romancista, ele tinha o domínio das palavras, e deste modo, escrevia muito bem! Gilberto Freyre, com esta postura romanceada na pesquisa, dezenas de vezes foi mal compreendido por suas posições diante das suas idéias elaboradas em suas escritas, quanto; a miscigenação do povo brasileiro. Mas, Freyre conseguiu romper o racismo e as tradições do pensamento (1930 em diante), que alardeava a necessidade de haver uma raça pura e junto com a mesma; a existência de um estado com mão forte.
         Freyre com seus escritos antropológicos percebe e faz seu leitor perceber; as pessoas, suas religiões, costumes, culinária; tudo isto no âmbito da essência da nacionalidade brasileira. Nos dias atuais, há um movimento de reavaliação das obras de Gilberto Freyre, movimento este, que vai muito além das noções de mestiçagem e democracia racial, hoje, Freyre está sendo revisto para que se possa compreender melhor a questões de globalização e à preocupação com uma nova realidade de migrações e contato entre diferentes grupos étnicos.
            Marly Therezinha Germano Perecin veio de encontro a minha vida num momento de fomentar ainda mais uma busca de conhecimento para me fortalecer para um longo tratamento de saúde. Desta maneira, procurei no âmbito acadêmico minimizar a minha dor no corpo!
            Eu, re-encontrei a “Mestra” em uma sala toda restaurada da Escola Sud Mennucci. Ela falou sobre a história do Sud Mennucci, alguns fatos e figuras marcantes referentes ao local, eu conhecia, pois já havia por lá estudado. Então, uma aluna contou o fato da sua mãe ter o hábito de mandá-la estudar mencionando; ser a nossa cidade berço de figuras notáveis e concluía a sua fala, com a seguinte afirmação: “Piracicaba é considerada a “Atenas Paulista”.
            Recordo-me da serenidade da Professora Marly ao tratar uma gafe histórica dos piracicabanos ao explicar: “O que de fato aconteceu é que um intelectual italiano, cujo nome era: Roberto Capri foi quem primeiro denominou Piracicaba de “Ateneu Paulista”. Ele estava em visita a nossa cidade e viu que aqui havia muitas escolas, um fenômeno para a época, e em proporção numérica, aqui tinha mais escolas que Campinas e Santos, Roberto Capri, deste modo, denominou Piracicaba de “Ateneu Paulista”. Vejam bem! Ateneu é o local onde os intelectuais se reúnem, centro de intelectuais, ele certamente não poderia falar que aqui era Atenas, pois Atenas é a pátria da democracia e Piracicaba nesta época era a terra dos coronéis!
          Sempre que possível durante a minha vida acadêmica ou mesmo no magistério, eu busquei ouvir a voz desta historiadora, que tem o mérito de estudar pontos considerados delicados e polêmicos da nossa história sem ser contaminada por eles, sua contribuição vai além de Piracicaba e região; seus estudos históricos são propagados sem limitações de fronteiras. Copilo uma frase do nosso “Poetinha Vinicius de Moraes”:: “Saravá Freyre! Sarava Marly Germano Perecin!

GRUPO - CHORANDO EM 7_ COORDENAÇÃO - MAESTRO MARCOS DE MORAES

CLARINETA - ABNER SMITH// CAVAQUINHO - ANDRÉ CONCEIÇÃO ROQUE// PERCUSSÃO - LAURO H. DE MENDONÇA// VIOLÃO 7 CORDAS - MATHEUS TAGLIATTI // VIOLÃO 6 CORDAS - MAURO DE MORAES// ESCALETA - ROSEANE LUPPI

**OUÇA A INTERPRETAÇÃO DOS MAIS BELOS "CHORINHOS BRASILEIROS" NAS MÃOS DOS SEUS INTÉRPRETES:
                                      http://youtu.be/YndLYXDMXNY
                         SECRETA _Lídia Sendin

A lua é mulher que encanta,
Tem o seu lado de santa
Brilhando no arco do céu.
Mas tem para quem procura
A face também escura.
Metade que ninguém vê.
Na outra face da lua
Mulheres guardam segredo,
Escondem um lado negro,
Com uma senha secreta,
Não dada nem ao poeta,
Que é quem nela mais crê.
Mulher, essa bela lua,
Sabendo que é só sua,
Velada, sombria zona
Que mora na escuridão,
Jamais deixa vir à tona
Segredos do coração.
REVELAÇÃO – (Carlos G. Mokreys)

Não posso dar-te toda a flor.
Apenas...
Algumas pétalas, talvez...
Mas lembra-te,
cada pétala encerra em si
toda a essência da flor.

GOSTO DE AVELÃS _ Rosani Abou Adal
Dirigindo o veículo que me conduzia
às minhas quatro paredes,
viajei nas rodas de Lenoir
rumo à rua Roquette.
No café em frente ao terminal,
observava através das cortinas transparentes
os chapéus que passeavam na calçada.
Tentava te perceber meio à multidão,
não via o vulto de tua imagem.
Sobre a mesa Uma Paixão no Deserto,
nos tipos de Didot, Balzac me acompanhava.
Entrastes pela alta porta de vidro
com um buquê do campo nas mãos
como fosse este o primeiro instante.
Sentastes ao meu lado,
beijastes suavemente minhas mãos.
Não falastes nada, mas teus olhos
disseram-me frases inesquecíveis.
Tomamos um café, nosso beijo
com gosto de licor de avelãs.
Voltei ao meu Corcel, à grande avenida
que me conduzia à região leste.
Na minha memória Delacroix
guiava-me à Catedral do meu Silêncio.
Emudeci no cruzamento,
teu cheiro se fez presente no ar.
Dentro do meu peito tua voz
acalentou-me no tráfego.
Minha boca com gosto de avelãs.
             (In “Catedral do Silêncio”, João Scortecci Editora, 1996.)
         Onde estou? _ Dirce Ramos de Lima
Vou p’ra qualquer lugar

onde possa ver o sol brilhar,
nos altos dos edifícios,
nos calçadões, nas praças
o sol existe em toda parte
e é de graça.
Vou p’ra algum lugar
onde haja gente,
recém nascida ou sobrevivente,
assim com eu,
cheias de virtudes ou de defeitos,
boas ou pervertidas,
acanhadas ou atrevidas,
esperançosas ou desiludidas,
covardes ou destemidas,
gente apenas,
lutando e se atropelando
programadas ou de qualquer jeito....
O mundo é o meu lar!
Não me perguntes onde estou,
Eu estarei sempre
em qualquer lugar...
                                     Cristo Partido _ Leda Coletti
Pensando bem,
só um Pai de verdade,
se deixaria crucificar,
materialmente ficar
com ossos quebrados,
rasgado, ensangüentado
por seus filhos pecadores!
Para muitos esse Calvário nada significou.
Não entendem
porque Jesus chora,
tem o coração partido.
Às vezes, também nós
(que dizemos amá-Lo),
O machucamos, O agredimos!
Quantas vezes, o Cristo será tolerante?
(setenta vezes sete?)
Muito mais, já testemunhou.
Ele é Pai de verdade,
adverte-nos suavemente
nos aponta o bom caminho,
perdoando e nos acolhendo.
Será que tentamos uma vez somente
imitar Cristo, amando nosso irmão?
                                                 Tudo pode mudar _Edson Antonio Di Piero.
Não derrame seu pranto.
Porque a vida é mesmo assim.
Sorria, pois ainda existe vida.
Por mais difícil que pareça.
O amor pode acontecer.
E a felicidade secar seu pranto.
Não chores.
Ainda há vida.
Você pode:
Ver;
Caminhar;
Sentir;
Amar novamente;
Nunca desista.
A felicidade pode estar na esquina.
Para em fim te encontrar.
                                                                Convite
Sarau Literário Piracicabano de 17 de Maio de 2011
Homenageados
                                                                   Jovem Guarda
E os músicos: Carlos Roberto (Beto) Suzana (Suzi) Furlan
Ouça a bela interpretação de Suzi e Carlos no Sarau de 19 de Abril:
+Convites
Oficina de crônicas
14 de maio - 8h30 - Unimep Campus Taquaral
Oficina de contos
18 de maio - 14h - Centro Cultural Martha Watts
Ministradas pela Profª Drª Josiane Maria de Souza, coordenadora do Curso de
Letras - Português da Unimep.
Inscreva-se através dos telefones: 19 3124-1603 e 19 3124-1889,
ou através dos emails: nuc@unimep.br e ccmw@unimep.br
Vagas limitadas. Haverá entrega de certificado.
Inscrições a partir de 2 de maio / 2011
                                                           Convite 2
1º Curso de Formação Técnica Extensiva – “O Processo de Profissionalização do Gestor Cultural”, caso você queira divulgar em seu blog. O curso contará com 25 vagas, inscrições até dia 29 de abril (gratuitas), dividido em 12 módulos com carga horária total de 48 horas e acontecerá no Teatro Municipal de Piracicaba Dr. Losso Netto, tendo o apoio da Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto.”

              Obrigada.
Larissa H.R.Martins
Estagiária - Assessoria de Imprensa
Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”
Rua Saldanha Marinho, nº333 - Centro, Piracicaba - São Paulo
Contato: (19) 3434-9032 (19) 3233-3674

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Cáxara de Fórfe, cuspere de grilo...na Agend@!

"Vamos pensar a bola feito uma poesia, com seus voleios nos pés do jogador, que  segue driblando, levantando-a no peito, correndo pelo gramado verde; como a caneta nas mãos do escritor, deslizando pelo papel em branco, ambos escrevem uma história feliz ou não; o que  pode ser feito através de uma só palavra: gol!"
                                         Ana Marly de Oliveira Jacobino
        Esporte Clube XV de Novembro já foi vice-campeão do Campeonato Paulista da Primeira Divisão, quando seu presidente era o folclórico Romeu Italo Ripoli. Além disso, conquistou quatro títulos do Campeonato Paulista da Série A2 e um título do Campeonato Brasileiro da Série C. Em 2011, o clube disputa o Campeonato Paulista Série A2. No próximo ano, em 2012 o XV voltará a disputar a Série A1 do Campeonato Paulista. Após a vitória de 4 a 1 para o Monte Azul, o time de Piracicaba esta matematicamente na primeira divisão do campeonato paulista.
        O XV de Novembro foi fundado no ano de 1913, tendo por diversos anos participado do Campeonato Paulista da primeira divisão. Seu título mais expressivo foi o vice-campeonato em 1976. O clube já conquistou vários títulos, dentre os quais se destacam os campeonatos paulistas da segunda divisão de 1947, 1948, 1967 e 1983 e o Campeonato Brasileiro da Série C de 1995.



          O último ano em que o XV participou da primeira divisão do futebol paulista foi 1995. Depois desceu para a segunda e posteriormente para a terceira divisão. No ano de 2005, o time subiu para a segunda divisão, porém, devido à fraca campanha na Série A2, voltou a ser rebaixado.          O XV foi a Monte Azul neste domingo (24) e venceu o time da casa por 4 a 1. Com a vitória, a equipe piracicabana subiu para a liderança do grupo 3, já que o Catanduvense perdeu para o Atlético Sorocaba.
          Em 1998, o XV obteve sete vitórias consecutivas no início da segunda divisão nacional (atual Campeonato Brasileiro de Futebol - Série B). Até hoje esse é o recorde de vitórias nas rodadas iniciais desse campeonato.
Em 2010, o XV disputou novamente a Série A3. Terminou a primeira fase em sétimo lugar e classificou-se para a fase seguinte. Na segunda fase, conseguiu ficar em segundo lugar no seu grupo e garantiu o acesso à série A2.
            Assista a conquista para a série A2:
                        http://youtu.be/5R32mQgzWh8
Camisa Oficial do Glorioso XV de Novembro confeccionado pela Deffende
Conheça o Hino Oficial do Glorioso XV de Novembro:

Hino Oficial do XV de Novembro ( Anuar Kraide (In Memorian) e Jorge Chaddad)

Salve XV de Novembro
Glorioso esquadrão
Na vitória ou na derrota
Esta em nosso coração
No basquete e futebol
É motivo de vaidade
Pioneiro da lei do acesso
Engrandece nossa cidade
Vamos XV para frente
Outra vitória conquistar
Destemido e valente
Só nos pode orgulhar
Vamos XV para frente
Outra vitória conquistar
A torcida está presente
Para sempre incentivar

Moisés Egert chegou ao comando da equipe piracicabana em marco de 2010, embora já estivesse trabalhando no clube desde fevereiro de 2009 e tenha desempenhado a função de auxiliar junto a cinco outros treinadores que passaram pelo clube. A sua primeira experiência foi na Copa Paulista de 2009 ainda como técnico interino mas, conseguiu uma classificação que era quase impossível. Moisés Egert assumiu o comando da equipe que estava em penúltimo lugar e mediante um trabalho sério obteve o acesso à Série A2. Desde então está dirigindo o time no projeto para promover o XV de Piracicaba à elite paulista em 2012 e, ontem a noite (24 de Abril) conseguiu chegar a elite do futebol paulista.
O quinzista André Cunha (à esq.) durante jogada na partida que concretizou o acesso do Nhô Quim (Foto: Fabio Teixeira/Gazeta de Piracicaba)

       Veja o acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Paulista:
                http://youtu.be/C1qzmmf1LWQ
Estádio Municipal Barão de Serra Negra o Barãobonera com capacidade 26.528 em jogo do XV de Novembro contra o Palmeiras.

      A diretoria abriu as portas do estádio Barão de Serra Negra para recepcionar os jogadores e  a torcida na festa do acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Paulista. A chegada da delegação piracicabana  no estádio foi por volta da 1 da manhã deste dia 25 de Abril. O fogueório e a festa continuou noite adentro.

O mascote é o Nhô Quim, criado por Edson Rontani, e retrata o típico torcedor piracicabano.
          Cante junto a torcida caipiracicabana clicando:
                       http://youtu.be/QtCXnQsEPaw

                                Hino Popular do XV de Piracicaba

Cáxara de forfe
cuspere de grilo
bicaro de pato
GOOOOOOOOOOOOR
XV
crá crá crá
XV
crá crá crá
asara de barata
nhéque de portera
já que tá que fique
GOOOOOOOOOOOOR
XV
crá crá crá
XV
crá crá crá
viemo numa combi véia
sem óio de breque
de orc de raibã
GOOOOOOOOOOOOR
XV
crá crá crá
XV
crá crá crá
carcanhá de bode
tocera de grama
já que tá que fique
GOOOOOOOOOOOOR
XV
crá crá crá XV
crá crá crá
trei veiz cinco
XV!
                fotos by google
                              http://www.xvpiracicaba.com.br/.
Convite:
                            foto by Ivana Altafin
Olá, pessoal! Convido-os a apreciarem o nosso espetáculo Lugar onde o peixe para (Grupo Andaime de teatro Unimep). Se você já viu, convide os familiares e amigos. Um abraço e obrigada. Luzia Stocco.
Marcela Benvegnu
Vou estar em Pira no sábado, dia 30, para uma ação que se chama Figuras da Dança Comentado. Dura 1h (das 16h às 17h) e acontece na sala 2 do Municipal. Eu e a Inês Bogéa, diretora da São Paulo Companhia de Dança, vamos falar um pouco sobre a Sônia Mota e passar um vídeo. Esse projeto da Companhia revisita a carreira de personalidades da dança brasileira por meio dos depoimentos dos próprios artistas. É na Semana da Dança, que já está rolando. Queria que você estivesse por lá. Se der aparece, vai ser ótimo.

domingo, 24 de abril de 2011

Arte na Praça envolve Piracicaba!

"O artista plástico e um poeta; as suas palavras são os traços delineados com a força das cores nos sabores refletidos na sua obra pelos versos da sua humanidade!"
                               Ana Marly de Oliveira Jacobino
Primeira Feira de Artes que aconteceu na Praça da Nova Bilblioteca Pública Municipal, teve a participação dos artistas plásticos e escritores
Paulo Vasconcelos ao lado de uma das suas obras tão instigantes aos olhos e ao espírito.

As artes plásticas ou belas-artes são as formações expressivas realizadas utilizando-se de técnicas de produção que manipulam materiais para construir formas e imagens que revelem uma concepção estética e poética em um dado momento histórico. O surgimento das artes plásticas está diretamente relacionado com a evolução da espécie humana.
 Artistas Plásticos, Escritores e visitantes na Praça da Biblioteca dedicada a um dia da Arte!

 Artista plástica Vera rodeada de obras tão significativas para a Piraciaba em sua passagem pela história.

É nas artes plásticas que encontramos o uso de novos meios para a criação,invenção e apreciação estética.A pintura refere-se genericamente à técnica de aplicar pigmento em forma líquida a uma superfície, a fim de colori-la, atribuindo-lhe matizes, tons e texturas.
Gracia Nepunuceno e sua "Manhã na Praça"

Em um sentido mais específico, é a arte de pintar uma superfície, tais como papel, tela, ou uma parede (pintura mural ou de afrescos). A pintura a óleo é considerada por muitos como um dos suportes artísticos tradicionais mais importantes; muitas das obras de arte mais importantes do mundo, tais como a Mona Lisa, são pinturas a óleo.
Diferencia-se do desenho pelo uso dos pigmentos líquidos e do uso constante da cor, enquanto aquele apropria-se principalmente de materiais secos.

 Stelamain Bittencourt Cano exibe todo o colorido das aves tropicais em suas magnificas obras.

O conceito de pintura pode ser ampliado para a representação visual através das cores. Mesmo assim, a definição tradicional de pintura não deve ser ignorada. O concernente à pintura é pictural, pictórico, pinturesco, ou pitoresco.
 Artista  Vera Gutierrez assina um quadro em plena "Praça da Arte".

 Na pintura o elemento fundamental é a cor. A relação formal entre as massas coloridas presentes em uma obra constitui sua estrutura fundamental, guiando o olhar do espectador e propondo-lhe sensações de calor, frio, profundidade, sombra, entre outros. Estas relações estão implícitas na maior parte das obras da História da Arte e sua explicitação foi uma bandeira dos pintores abstratos. A cor é considerada por muitos como a base da imagem.

No cavalete a exposição de mais uma obra de arte de Laura Pezzoto.

Quando o artista pretende pintar mum quadro uma realidade que é familiar, natural e sensível ou interna, a pintura é essencialmente a representação pictórica de um tema: é uma pintura figurativa. O tema pode ser uma paisagem (natural ou imaginada), uma natureza morta, uma cena mitológica ou cotidiana, mas independente disto a pintura manifestar-se-á como um conjunto de cores e luz. Esta foi praticamente a única abordagem dada ao problema em toda a arte ocidental até meados do início do século XX.
Margarete Zenero junto a Juliana Z. Roberto a artista da tela "Tarde de Domingo"

A partir das pesquisas de Paul Cézanne, os artistas começaram a perceber que era possível lidar com realidades que não necessariamente as externas, dialogando com características dos elementos que são próprios da pintura, como a cor, a luz e o desenho. Com o aprofundamento destas pesquisas, Wassily Kandinsky chegou à abstração total em 1917. A pintura abstrata não procura retratar objetos ou paisagens, pois está inserida em uma realidade própria.

Viviane Gibin exibe a "Força das Mãos" nas suas obras.

A abstração pode ser, porém, construída, manifestando-se em uma realidade concreta porém artificial. Esta foi a abordagem dos construtivistas e de movimentos similares. Já os expressionistas abstratos, como Jackson Pollock, não construíam a realidade, mas encontravam-na ao acaso. Este tipo de pintura abstrata resulta diametralmente oposta à primeira: enquanto aquela busca uma certa racionalidade e expressa apenas as relações estéticas do quadro, esta é normalmente caótica e expressa o instinto e sensações do artista quando da pintura da obra.
Aparecida Casarim desenha um esboço para um futuro trabalho.

Toda Pintura é formada por um meio líquido, chamado médium ou aglutinante, que tem o poder de fixar os pigmentos (meio sólido e indivisível) sobre um suporte.
A escolha dos materiais e técnica adequadas está diretamente ligada ao resultado desejado para o trabalho e como se pretende que ele seja entendido. Desta forma, a análise de qualquer obra artística passa pela identificação do suporte e da técnica utilizadas.
Miguel Angelo Sanches pinta a obra "Entorno da Praça da Biblioteca"

O suporte mais comum é a tela (normalmente feita com um tecido tensionado sobre um chassis de madeira), embora durante a Idade Média e o Renascimento o afresco tenha tido mais importância. É possível também usar o papel (embora seja muito pouco adequado à maior parte das tintas).
Quanto aos materiais, a escolha é mais demorada e, normalmente, envolve uma preferência pessoal do pintor e sua disponibilidade. O papel é suporte comum para a aquarela e o guache, e eventualmente para a tinta acrílica.

Lucila Calheiros Silvreste diretora da Biblioteca Pública Municipal, Ana Marly (autora das fotos)  e Margarete Zenero (artista Plástica)

As técnicas mais conhecidas são: a pintura a óleo, a tinta acrílica, o guache, a aquarela, a caseína, a resina alquídica, o afresco, a encáustica e a têmpera de ovo. É também possível lidar com pastéis e crayons, embora estes materiais estejam mais identificados com o desenho.

HARRISON, Hazel; Técnicas de desenho e pintura; São Paulo: Editora Cia dos Livros, 1994;
LICHTENSTEIN, Jacqueline; A pintura - textos essenciais; São Paulo: Editora 34, 14 volumes; 2004;
                                                                  Convite: